Ainda não fala com a sua com a TV? Com a inteligência artificial você vai começar

TVs com inteligência artificial para reconhecimento de voz estão redefinindo o mercado

Muita gente já tem esse hábito. Dá bom dia à apresentadora do programa matinal. Boa noite ao âncora do telejornal favorito. Responde às perguntas feitas no ar e grita para o meio-campo de seu time tocar a bola durante a partida de futebol. Agora, no entanto, essas pessoas estão de fato sendo ouvidas e entendidas pela TV.

TVs com inteligência artificial estão definindo um novo patamar tecnológico em seu mercado. Com a ajuda dessa tecnologia, melhoram dinamicamente a qualidade das imagens e dos sons, e ouvem comandos de voz a partir de seus controles remotos.

Marcas como a LG, com sua plataforma ThinQ AI — que se conecta a assistentes como o Google Assistente e a Alexa da Amazon —, e a Samsung, com seu Assistente de Voz capaz de executar comandos e se integrar a outros dispositivos domésticos, estão ampliando ainda mais o alcance da inteligência artificial no cotidiano doméstico.

Era um próximo passo esperado. Afinal, conforme ganham terreno, no ambiente doméstico, assistentes de voz como o Amazon Echo e o Google Home, seria apenas questão de tempo para os demais eletrodomésticos acompanharem a tendência.

A evolução não vai parar nas TVs, claro. Geladeiras, aspiradores de pó, lâmpadas e lavadoras já estão sendo conectadas à internet das coisas (IoT). Google e Amazon já permitem que seus assistentes de voz sejam integrados a esses dispositivos. Em breve, eles próprios terão a capacidade de ouvir e atender a comandos.

A Gartner projeta que 14,2 bilhões de equipamentos conectados estarão em uso em 2019. Até 2021, serão 25 bilhões de dispositivos produzindo e interagindo com um cada vez maior volume de informações.

A questão que fica é o que vamos passar a dizer quando todo mundo, ou melhor, quando todas as coisas estiverem nos ouvindo.

Redação Nama

Um de nossos colaboradores diretos da Nama escreveu esse post com todo o carinho :)